Cartas, Sexo e Diversão: Cegonha + Oxumaré

A cegonha vem anunciar novidades e período propício para a fecundação.

Oxumaré é um orixá ligado ao ciclo das águas, 6 meses arco íris, com características femininas e 6 meses serpente, com características masculinas.

Essas duas cartas, mais a linda lua cheia no céu, indicam que a fertilidade e a fecundidade estão ao nosso redor!

Casais podem aproveitar o momento para um fecundar o outro com mais amor, novas experiências, novas ideias e oportunidades.

Que tal aproveitar este momento e experimentar novas posições? Novas brincadeiras? Principalmente as que estimulam mais atitude em quem costuma ser mais passivo e mais passividade em quem é assertivo.

Essa alternância entre atitude/passividade pode ser muito saudável para casais que queiram renovar o sexo e a relação.

Se você costuma deixar seu par começar a brincadeira, tente iniciar você!

Se você costuma usar fantasias sensuais, surpreenda e compre uma para seu par!

A mesma coisa vale para os toys e posições…

 

Para perfumes, difusores e incensos invista em aromas doces e frutados.

Tons cítricos vão iluminar as brincadeiras.

Para fantasias, prefira os temas de animais, como cobra, onça, tigres e tigresas.

 

Trocar e renovar para iniciar um novo ciclo de fecundidade e prosperidade é a mensagem da semana.

Aproveite!

Entre com seu email para receber as atualizações:

Desenvolvimento FeedBurner

Autor Coluna Cartas, Sexo e Diversão

Cartas, sexo e diversão é um oráculo realizado com dois baralhos, o Cigano e o Mensagens dos Orixás e interpretados por Liliane Provenzano para aconselhar e sugerir novidades em sua vida sexual. Liliane Provenzano Friedericks é terapeuta holística, master em Reiki celta e iniciada em magia cigana. Mestra em Hospitalidade e bacharel em relações públicas, com experiência de mais de 28 anos na área de comunicação e eventos, é colaboradora de blogs, instrutora de cursos e vivências holísticas. Criadora da marca Alquimias da Bruxinha, também lidera o projeto SexAtivação com seu marido, Carlos Morini.

LEIA TAMBÉM

amor-versus-odio

A complexidade do sentir: ódio do bem x amor do mal

Complexidade ódio-amor que impõe o funcionamento robótico, ou seja, aquele que, enquadrando as pessoas em um único programa de pensar, elimina as diferenças e anula a individualidade. Por Beatriz Breves*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.