cartassexoediversaoxangohomem

Cartas, Sexo e Diversão: Homem+Xangô

A carta “O Homem” representa o aspecto masculino da Criação, em suas características de ação, expansão, conquista… que está presente em todos os seres.

Xangô é o orixá da coragem, generosidade, prosperidade… Seu mito está sempre ligado a boa comida e mulheres bonitas.

Para essa semana de lua nova, alimente os sentimentos positivos de coragem, generosidade e abundância em relação ao amor e ao sexo.

Tente aquela conquista que você acha sempre impossível!

Tenha generosidade com o seu par antes, durante e depois do sexo (nessa semana não vale usar o jejum para resolver problemas de relacionamento).

Em qualquer situação, boa comida e boa bebida são indispensáveis para atrair romance e sedução!

Ylang ylang, sândalo, patchouly e almíscar são os aromas para perfumes, incensos e aromatizadores de ambiente.

Invista em seu poder de sedução, cuide da aparência e dos acessórios e componha seus looks com a cor vermelha (fantasias e lingeries no estilo boudoir são as recomendadas).

Na alimentação, molhos agridoces ou picantes vão dar um toque de sedução em qualquer tipo de comida.

Entre com seu email para receber as atualizações:

Desenvolvimento FeedBurner

 

Autor Coluna Cartas, Sexo e Diversão

Cartas, sexo e diversão é um oráculo realizado com dois baralhos, o Cigano e o Mensagens dos Orixás e interpretados por Liliane Provenzano para aconselhar e sugerir novidades em sua vida sexual. Liliane Provenzano Friedericks é terapeuta holística, master em Reiki celta e iniciada em magia cigana. Mestra em Hospitalidade e bacharel em relações públicas, com experiência de mais de 28 anos na área de comunicação e eventos, é colaboradora de blogs, instrutora de cursos e vivências holísticas. Criadora da marca Alquimias da Bruxinha, também lidera o projeto SexAtivação com seu marido, Carlos Morini.

LEIA TAMBÉM

amor-versus-odio

A complexidade do sentir: ódio do bem x amor do mal

Complexidade ódio-amor que impõe o funcionamento robótico, ou seja, aquele que, enquadrando as pessoas em um único programa de pensar, elimina as diferenças e anula a individualidade. Por Beatriz Breves*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.