CARTAS MENSGENS DOS ORIXAS.cdr

Cartas, Sexo e Diversão: Cruz + Oxalá

A Cruz indica união do físico e material, equilíbrio entre rigor e benevolência, vitória com persistência e fé.

Oxalá é o orixá que simboliza a fé, um mito ligado à vitalidade, jovialidade, princípio da vida e da respiração.

Para essa semana, conectar o físico e o espiritual é uma ótima oportunidade de vivenciar a mensagem das duas cartas.

Período indicado para as práticas de sexo espiritual ou de revisão sobre esse conceito, já que as cartas simbolizam que não há fronteira entre o visível e o invisível.

Para quem vive momentos de desentendimentos na relação, esse é um ótimo momento para aprofundar a conexão através da energia, deixando um pouco de lado aspectos materiais, que muitas vezes nos confundem e iludem.

Lembre que o Amor é a base de tudo, então foque no conteúdo de sua relação e verá que isso pode mudar a forma dela.

Os aromas herbais serão indicados em perfumes, difusores e incensos.

Lingeries brancas ou claras e com poucos detalhes serão ótimas para dar um toque clean e de simplicidade.

O branco e o dourado podem compor sua ambientação.

Comidas com tempero suave e delicado podem ajudar o casal a explorar a conexão e facilitar as práticas de sexo espiritual.

Entre com seu email para receber as atualizações:

Desenvolvimento FeedBurner

Autor Coluna Cartas, Sexo e Diversão

Cartas, sexo e diversão é um oráculo realizado com dois baralhos, o Cigano e o Mensagens dos Orixás e interpretados por Liliane Provenzano para aconselhar e sugerir novidades em sua vida sexual. Liliane Provenzano Friedericks é terapeuta holística, master em Reiki celta e iniciada em magia cigana. Mestra em Hospitalidade e bacharel em relações públicas, com experiência de mais de 28 anos na área de comunicação e eventos, é colaboradora de blogs, instrutora de cursos e vivências holísticas. Criadora da marca Alquimias da Bruxinha, também lidera o projeto SexAtivação com seu marido, Carlos Morini.

LEIA TAMBÉM

criatividade-na-afetividade

E sua ideia, deu match?

Antigamente, diziam: quem casa quer casa. No entanto, em tempos nômades, digitais, com mobilidade em ascensão, surge a indagação. Queremos casa? Queremos casar? No campo dos relacionamentos afetivos, as perguntas são um fato, desafiando visivelmente o coração de quem ama. Por Thais Boulanger*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics