yewa arvore

Cartas, Sexo e Diversão: Árvore + Yewá

A Árvore simboliza força, tempo e dedicação, pois não se forma da noite para o dia e em geral, precisa de cuidado e condições ideais para crescer.

Yewá é a orixá ligada ao tempo, ao mistério, à névoa… Seu arquétipo está ligado à clarividência e sua mensagem lembra que há tempo para tudo e que apenas o essencial preenche o vazio interior…

As duas cartas juntas, em semana de lua nova trazem a mensagem de que é preciso tempo para construir um relacionamento sólido, mas a dedicação e o cuidado são essenciais para dar saúde a essa parceria.

Neste novo ciclo, reavalie o tempo dedicado ao amor e ao sexo… encontre um espaço para curtir seu par, adubar a relação, planejar o futuro, focando no que é essencial na vida de cada um…

Momento ideal também para investir em fantasias e jogos eróticos que envolvam mistério e adivinhações…

Os aromas com toques de mel são super favoráveis e podem estar em incensos, difusores de ambiente e perfumes.

Fantasias ciganas e odaliscas podem dar o toque de mistérios e adivinhação!

O coco pode aparecer nos jantares do casal, sobremesas à base de graviola e um toque de mel em comidas ou bebidas vão favorecer a conversa e o sexo…

Entre com seu email para receber as atualizações:

Desenvolvimento FeedBurner

Autor Coluna Cartas, Sexo e Diversão

Cartas, sexo e diversão é um oráculo realizado com dois baralhos, o Cigano e o Mensagens dos Orixás e interpretados por Liliane Provenzano para aconselhar e sugerir novidades em sua vida sexual. Liliane Provenzano Friedericks é terapeuta holística, master em Reiki celta e iniciada em magia cigana. Mestra em Hospitalidade e bacharel em relações públicas, com experiência de mais de 28 anos na área de comunicação e eventos, é colaboradora de blogs, instrutora de cursos e vivências holísticas. Criadora da marca Alquimias da Bruxinha, também lidera o projeto SexAtivação com seu marido, Carlos Morini.

LEIA TAMBÉM

criatividade-na-afetividade

E sua ideia, deu match?

Antigamente, diziam: quem casa quer casa. No entanto, em tempos nômades, digitais, com mobilidade em ascensão, surge a indagação. Queremos casa? Queremos casar? No campo dos relacionamentos afetivos, as perguntas são um fato, desafiando visivelmente o coração de quem ama. Por Thais Boulanger*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics