mês-da-masturbação

Mitos e Verdades sobre a Masturbação: Celebrando o Mês da Autodescoberta

Desde os tempos antigos até os dias modernos, a masturbação tem sido envolta em mistério, tabu e mal-entendidos. No entanto, ao longo dos anos, a sociedade tem começado a abrir-se mais para discutir esse aspecto natural da sexualidade humana. Aproveitando que estamos no Mês da Masturbação, vamos ver hoje alguns  mitos e verdades sobre a masturbação que ainda perduram, mas também os benefícios que a prática  traz para o corpo e a mente.

A História da Masturbação: Entre Tabus e Tabernas

A masturbação tem uma história complexa, variando de culturas que a condenavam a outras que a celebravam como um ato normal e saudável. Nas sociedades antigas, como a Grécia e a Roma, a masturbação era muitas vezes vista como um ato de autoindulgência, mas não era completamente proibida. 

Por outro lado, em algumas culturas religiosas, a masturbação foi considerada um pecado grave, associada a ideias de impureza e imoralidade.Durante a Idade Média, a visão sobre a masturbação tornou-se mais negativa, com a Igreja Católica classificando-a como um pecado mortal. 

Este período viu o surgimento de mitos e equívocos sobre os efeitos nocivos da masturbação, incluindo a crença de que ela poderia causar insanidade, cegueira e até mesmo a morte. Esses mitos persistiram por séculos, contribuindo para o estigma em torno da prática.

O Despertar da Consciência: O Surgimento do Mês da Masturbação

No entanto, à medida que a sociedade avançava e a compreensão da sexualidade humana evoluía, começaram a surgir movimentos que buscavam desafiar esses tabus e promover uma visão mais positiva da masturbação. Um marco significativo nesse sentido foi o surgimento do Mês da Masturbação.

O Mês da Masturbação é uma campanha anual global que visa aumentar a conscientização sobre a masturbação, desfazer estigmas e promover uma atitude saudável em relação à sexualidade. 

A data homenageia Joycelyn Elders, ex-secretária de saúde dos EUA que defendeu, há 28 anos, a inclusão do debate sobre autoprazer no programa de educação sexual escolar e acabou demitida pelo então presidente Bill Clinton.

Hoje, o Mês da Masturbação está ganhando popularidade nas redes sociais e se expandindo para eventos e atividades presenciais em muitas comunidades ao redor do mundo.

A ideia por trás do Mês da Masturbação é normalizar a conversa sobre um tema que por muito tempo foi tratado como tabu, oferecendo informações precisas e educativas sobre os benefícios da masturbação e desmistificando os mitos que a cercam. 

Esta celebração destaca a importância de aceitar e abraçar a diversidade de experiências sexuais e promover a autodeterminação em relação ao próprio corpo.

Mitos e Verdades sobre a Masturbação: Separando Fatos da Ficção

Para entender verdadeiramente a masturbação, é essencial separar os mitos dos fatos. Vamos explorar alguns dos equívocos mais comuns e suas realidades correspondentes:

1 – A masturbação é prejudicial à saúde.

É mito! Na realidade, a masturbação é uma prática normal e saudável, que pode trazer uma série de benefícios físicos e emocionais. Estudos mostram que a masturbação pode ajudar a aliviar o estresse, melhorar o sono, fortalecer o sistema imunológico e até mesmo aliviar cólicas menstruais em pessoas que menstruam.

2 – A masturbação pode causar problemas de saúde mental.

É mito! Não há evidências científicas que sustentem essa afirmação. Na verdade, a masturbação pode até mesmo ter efeitos positivos sobre a saúde mental, ajudando a reduzir a ansiedade, melhorar o humor e promover uma sensação de bem-estar geral.

3 – A masturbação é apenas para pessoas solitárias

É mito! A masturbação é uma prática sexual que pode ser desfrutada por pessoas de todas as idades, gêneros e orientações sexuais, independentemente do estado civil ou da existência de um parceiro(a). É uma forma de autodescoberta e prazer que pode complementar a atividade sexual em casal, mas também pode ser uma experiência satisfatória por si só.

4 – A masturbação pode levar à disfunção erétil ou à diminuição do prazer sexual.

É mito! Não há evidências que sugiram que a masturbação cause disfunção erétil ou diminua o prazer sexual. Na verdade, para muitas pessoas, a masturbação é uma maneira de explorar e entender seu próprio corpo, o que pode, na verdade, melhorar a saúde sexual e aumentar a satisfação sexual.

Benefícios da Masturbação: Além do Prazer

Além de proporcionar prazer e satisfação sexual, a masturbação oferece uma série de benefícios para a saúde física e emocional:

1. Alívio do Estresse e da Ansiedade

A masturbação pode ser uma forma eficaz de aliviar o estresse e a ansiedade, ajudando a relaxar o corpo e a mente.

2. Melhoria do Sono

Os hormônios liberados durante o orgasmo, como a ocitocina e a serotonina, podem promover um sono mais profundo e reparador.

3. Fortalecimento do Sistema Imunológico

Estudos mostram que a masturbação pode aumentar a produção de células imunológicas, fortalecendo assim o sistema imunológico.

4. Alívio da Dor Menstrual

Para pessoas que menstruam, a masturbação pode ajudar a aliviar cólicas e dores associadas ao ciclo menstrual, graças à liberação de endorfinas.

5. Promoção da Autoestima e do Autoconhecimento

A masturbação permite que as pessoas explorem seu próprio corpo, suas preferências e desejos, promovendo assim uma maior autoestima e autoconfiança.

Celebrando a Autodescoberta e a Aceitação

À medida que continuamos a desafiar os tabus e estigmas em torno da sexualidade humana, é essencial reconhecer que a masturbação é uma parte natural e saudável da experiência humana. 

Celebrar o Mês da Masturbação não se trata apenas de reconhecer os benefícios físicos e emocionais dessa prática, mas também de promover uma cultura de aceitação, autodescoberta e consentimento.

É importante lembrar que, assim como em qualquer aspecto da vida, a masturbação deve ser praticada de forma responsável e respeitosa. Isso inclui o consentimento e o respeito pelos limites pessoais, tanto ao se masturbar quanto ao se envolver em atividades sexuais com outras pessoas. 

A educação sexual abrangente desempenha um papel fundamental em capacitar as pessoas a fazerem escolhas informadas e saudáveis sobre sua sexualidade.

Além disso, é fundamental reconhecer que a experiência da masturbação pode variar amplamente de pessoa para pessoa. Não há uma maneira “certa” ou “errada” de se masturbar, e cada indivíduo tem o direito de explorar sua sexualidade de maneira que seja confortável e satisfatória para eles.

À medida que continuamos a avançar em direção a uma sociedade mais inclusiva e progressista, é essencial que continuemos a desafiar os estigmas e tabus em torno da masturbação e da sexualidade em geral. 

Celebrar o Mês da Masturbação é uma oportunidade para promover a educação, a aceitação e o entendimento, capacitando as pessoas a abraçar sua sexualidade de forma saudável e positiva.

Ao desmistificar os equívocos e celebrar os benefícios dessa prática, podemos ajudar a criar um mundo onde todas as formas de sexualidade são aceitas, respeitadas e celebradas. 

Então, neste Mês da Masturbação, vamos nos unir para promover uma cultura de autenticidade, aceitação e autodescoberta!

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

Mercado Erótico prepara Ciclo de Palestras Espaço 18+ na Parada do Orgulho LGBT / SP Paulo

Espaço 18+: Acontece dia 30 de maio no Memorial da América Latina e traz ciclo …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics