Cartas, sexo e diversão

Cartas, sexo e diversão: A Cegonha + Oxumaré

Nesta, semana, a carta do baralho cigano é “A Cegonha”, significando que você deve evitar a rotina no seu relacionamento e dar uma observada se o apego está exagerado.

 

Nas mensagens dos Orixás, foi a vez de Oxumaré, arquétipo associado às serpentes, que aconselha a “dar o bote na hora certa” para movimentar as energias do relacionamento.

As duas cartas juntas, em semana de feriado, deixam a seguinte dica: planeje coisas diferentes em matéria de sexo, ouse usar os toys que você ainda não teve coragem, peça posições e produtos novos… enfim, planeje uma surpresa para seu par, mas anuncie na hora certa… principalmente se você tem o hábito de prometer e não realizar… quem sabe não é o que seu relacionamento precisa para começar a sair da rotina?

A lua crescente é um ótimo período para crescer, florescer e trabalhar o desapego, portanto embarque nessa oportunidade e se lambuze!

Entre com seu email para receber as atualizações:

Desenvolvimento FeedBurner

 

Autor Coluna Cartas, Sexo e Diversão

Cartas, sexo e diversão é um oráculo realizado com dois baralhos, o Cigano e o Mensagens dos Orixás e interpretados por Liliane Provenzano para aconselhar e sugerir novidades em sua vida sexual. Liliane Provenzano Friedericks é terapeuta holística, master em Reiki celta e iniciada em magia cigana. Mestra em Hospitalidade e bacharel em relações públicas, com experiência de mais de 28 anos na área de comunicação e eventos, é colaboradora de blogs, instrutora de cursos e vivências holísticas. Criadora da marca Alquimias da Bruxinha, também lidera o projeto SexAtivação com seu marido, Carlos Morini.

LEIA TAMBÉM

como-sair-de-um-relacionamento-abusivo

5 dicas para identificar e sair de um relacionamento patriarcal

Por *Mayra Cardozo. Sabemos que o Brasil é um país estruturalmente machista em todos os seus espaços. Para ter ideia, de acordo com uma pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), no último ano, uma em cada quatro mulheres acima de 16 anos afirma ter sofrido algum tipo de violência. Isso mostra que cerca de 17 milhões de mulheres, totalizando 24,4%, sofreram violência física, psicológica ou sexual no último ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.