spicy-club-balada-liberal

Spicy Club comemora 4 anos com grande festa e camarote Violet Bi-Bi

Há grandes motivos para comemorar: superação à pandemia e acolhimento de diversas expressões da sexualidade, tornando-se a balada liberal mais inclusiva da América Latina.

A Spicy Club, localizada na Alameda dos Pamaris em Moema, São Paulo, foi aberta no final de 2019, apenas 4 meses antes do decreto de isolamento social.

Empreendimento, do experiente gestor de entretenimento adulto, Fábio Leandro já conhecido pela sua administração de casas como a Nefertiti, Casablanca e Hot Bar, a Spicy Club ficou fechada por 2 anos em seu começo de vida.

Mas com o fim da pandemia veio a possibilidade já tão aguardada de abrir as portas para noites de aventuras inesquecíveis. E de lá pra cá, Fábio sempre atento às tendências e muito aberto a ouvir o seu público, foi ajustando a programação da Spicy Club para realizar enfim o seu sonho: estabelecer uma balada verdadeiramente liberal, que abraçasse todas as orientações e expressões sexuais, sem distinção, sem preconceitos.

fabio-leandro-spicy-club

“Embora o conceito liberal carregue a bandeira da liberdade feminina, esse modelo ainda espelha a sociedade atual baseada na dominação masculina. Onde somente as mulheres podem sensualizar e andarem nuas, e os corpos femininos continuam sendo utilizados como gatilho para ativar o desejo masculino. E onde o bi-feminino é quase uma norma e o bi-masculino ainda visto com preconceito” explica Fábio.

Por isso, Fábio e sua equipe tem se dedicado ao projeto de diversidade e inclusão da casa, não apenas abrindo espaço para várias tribos realizando eventos com diferenciados fetiches e temas como também criando de forma inédita e lúdica ações educacionais para o seu público conhecer, aceitar, compreender e se identificar nesse momento tão único de liberação sexual e empoderamento na história da Humanidade.

Selos de Festas: Frequentadores viram promoters

Na programação fixa da Spicy Club há mais de 16 nichos diferentes, e Fábio junto com seus gerentes Erika Thinen e Osmar Oliveira estão sempre de olho nas tendências e avaliando novas parcerias, porque segundo ele, ainda há muitas oportunidades para explorar. O slogan da casa é: curta um novo estilo de vida.

“Aqui as pessoas podem se identificar com vários estilos de vida ou até com nenhum, mas pelo menos tiveram a chance de experimentar.Nossa principal preocupação é oferecer um ambiente seguro, com infraestrutura, cenários e equipe, para proporcionar diversão, segurança e conforto para todos os públicos que buscam oportunidades de encontrar e conhecer pessoas que se alinham com seu estilo de vida, que partilham das mesmas filosofias e que se identificam como comunidade, livre de preconceitos e julgamentos” explica.

Hoje, a Spicy Club tem festas em sua programação mensal para variados tipos de fetiche recebendo não só os adeptos do swing, como também os cuckolds e as hot wifes, os nudistas (única casa a oferecer festa nudista indoor), casais bi-bi (onde os dois pares são bisexuais), os amantes do menàge feminino, festas só para mulheres, noites só para homens de corpos livres, baladas LGBTQIAP+, poliamoristes, queer, não binário, não mono, pansexuais entre outros.

E para isso, Fábio idealiza e formata as baladas e conta com promotores que sejam adeptos dos respectivos fetiches de cada uma delas montando “selos”. É assim com a Lilith Lounge (exclusiva só para mulheres), a Balada Nudista e a Tardezinha Nudista, a ConS3nsual (menàge feminino), Violet Bi-Bi (para casais bisexuais), Cuckoo (culckold e hot wifes) e agora irá lançar um novo selo de festa para criadores de conteúdo adulto.

A estrutura da Spicy Club engloba, pista de dança com vários pole dances, bares, fumódromo, lounge, área de interação com cabines individuais, camas coletivas, masmorra, sala de vidro, sala de show privativo, para atender vários fetiches, sendo o swing somente um deles.

E tem como diferenciais das outras casas, permitir que não só as mulheres circulem sem roupas, mas também os homens, em qualquer lugar da casa além do labirinto, recebe casais de homens além de casais de mulheres, além de disponibilizar preços não abusivos para homens sozinhos.

“O que eu tenho visto hoje em dia, é que todas essas tribos estão se conversando e muito. Por exemplo, mesmo tendo um dia que é exclusivo para LGBT masculino e outro para LGBT feminino, no dia em que promovemos uma festa LGTB Mix, todos esses povos se juntam e, nas festas para casais, eles transitam mesmo que não seja a sua orientação ou fetiche, são atraídos pela curiosidade”, conta.

O grande termômetro de Fábio é o labirinto da Spicy Club. Projetado por ele para que, conforme você vá adentrando pelo recinto, cada lugar tenha uma história para um fetiche diferente. “As pessoas que nunca vieram aqui, quando começam a transitar com a casa em funcionamento, percebem que têm fetiches que estavam adormecidos, e nessa caminhada, esses fetiches vão despertando, e elas vão sentindo que ainda tem muito a explorar do seu próprio desejo, da sua própria fantasia.”

Festa de aniversário terá dois camarotes especiais

Show na Violet BiBi de outubro

A festa de comemoração de aniversário de 4 anos da Spicy Club, no dia de 18 de novembro, terá Welcome Drink, show ao vivo e atrações imperdíveis. E Fábio irá dedicar dois camarotes para públicos que são diferentes mas que ao mesmo tempo podem se entrosar de forma inesperada dentro da casa: Voluptas Society, a maior sociedade secreta de swing do Brasil e Violet BiBi que tem se destacado no circuito liberal por ser única iniciativa desse perfil que proporciona um espaço seguro e sedutor para que os casais, onde ambos os pares seja bissexuais possam se revelar e entrosar na Spicy Club.

“No meio swing, 99% das mulheres já se declaram bisexuais enquanto que 90% dos homens se afirmam como héteros. O camarote Violet-BiBi tem revelado o contrário, representando um lugar seguro para esses homens se assumirem. A Spicy Club é a única casa que oferece uma festa para casais com esse perfil”, comemora Fábio.

O camarote Bi-Bi tem crescido tanto que já alcançou o status de festa dentro da programação da Spicy Club ganhando cada vez mais frequentadores que chegam através de indicações de outros casais bi-bi. Dois casais foram escolhidos como promotores desta iniciativa e encantam tanto por sua juventude quanto pela clareza desse trabalho: o Casallivre_03 (Laura e Lucas) e o Casal BiBr (Marcelo e Gabi).

Gabi e Marcelo (Casal BiBr)

“Como antes não tínhamos um evento para nos encontrar com outros casais, nos reunimos em festas secretas em casas de amigos. E hoje, depois que estamos na Spicy Club com a Violet, cada vez mais tem crescido o número de pessoas que vêm por curiosidade. E agora conseguem realizar suas fantasias de forma segura e sem julgamento, já que na nossa festa, a bisexualidade dos homens não é marginalizada como é nas outras baladas liberais”, explica Lucas.

A primeira vez que fomos em um ambiente assim foi a primeira edição da Violet Bi Bi, que nos deixou completamente apaixonados pela festa, pelas pessoas que frequentam, e hoje quase um ano depois não deixamos de ir em uma edição, pelo contrário, amamos tanto a ideia, o ambiente, que nos tornamos parceiros da festa, primeiramente em sua divulgação em nossas plataformas digitais, mas logo depois passando também para idealização, organização e hoje sendo a imagem pública da festa, representando seus princípios para todos do meio liberal e além, sendo motivo de orgulho fazer parte desse time junto com o CasalLivre_03 e a Spicy, que sempre abriu as portas para todas as ideias que a gente tem em conjunto, o Fábio sempre fazendo ser possível as fantasias e dando sempre tanto espaço para nosso público lgbtqia+, com uma equipe tão respeitosa, amorosa e eficiente que cuida de todos da casa. Foi realmente incrível ter recebido esse convite, sem ele jamais teríamos ido conhecer ambientes liberais, nunca saberíamos que também temos nosso espaço nesse universo tão complexo e amplo do swing e que podemos ampliar essa ideia cada vez mais para todas as sexualidades serem bem vindas e terem um lugar seguro também” declara Gabi.

Além desses dois camarotes, Fábio prevê que todas as tribos que frequentam a casa venham se encontrar nessa noite na Spicy Club. “O que conquistamos nesses 4 anos, são conquistas de todos que aqui vieram e se descobriram, que se realizaram e encontraram outras pessoas com quem vivenciam suas fantasias e obtém muito prazer sem julgamentos. Temos muito o que comemorar, pois é um momento único fazer parte da vida das pessoas em histórias e aventuras inesquecíveis”.

Serviço:

Spicy Club – Alameda dos Pamaris, 42 – Moema – São Paulo – SP

Censura: 18 anos

Formas de pagamento: Aceita todos os cartões de crédito, débito ou dinheiro

Valet parking na porta (R$ 40,00)

Chapelaria (R$15,00)

Informações e ingressos antecipados acesse www.spicyclub.com.br

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

camiseta-de-time-não-e-boa-pra-namorar

Camisetas de times não são adequadas para encontros amorosos

Ter um primeiro encontro com a pessoa desejada é um ‘golaço’ e tanto. Mas será que a camiseta do time favorito tem espaço durante a paquera? Segundo pesquisa apenas 3% dos usuários consideram as camisetas de time adequadas para dates. Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics