dia-do-orgasmo-alimentação

Sabor e desejo: como os alimentos afrodisíacos podem aumentar a libido da mulher

Em meio aos desafios da vida moderna, a nutricionista Vanessa Costa revela como a saúde e o bem-estar influencia na libido feminina em nosso esquenta do Dia do Orgasmo

Em diversos momentos da vida das mulheres como o período pós-parto e na menopausa as oscilações hormonais em grande parte afetam a a libido, mulheres com ovário policístico (SOP), hipotireoidismo e outras condições hormonais também podem sofrer com a falta de libido em algum momento da vida. “Níveis altos de estresse e sobrecarga de trabalho, bem como a falta de sono adequado e o cansaço crônico vão com certeza diminuírem o seu desejo sexual”, relata Vanessa.

Algumas condições crônicas como diabete, doenças cardíacas além de uso de medicações como antidepressivo e até os próprios contraceptivos podem levar você a ter uma baixa de libido. Mas porque estamos apontando todos esses fatores aqui?

“O excesso de informação nos leva a crer que consumir três chás, cinco frutas ou dois alimentos específicos irão resolver o problema e ajudar a aumentar a libido e eu preciso te dizer que isso não é verdade. Existem alimentos sim que combinados podem ajudar o seu corpo a funcionar melhor e com isso contribuir para melhorar a sua libido, mas você entende que o problema é muito mais complexo, você é um ser complexo e precisa de cuidados como um todo?”, revela a nutricionista.

É importante destacar que a falta de libido pode ter causas diversas do que a simples diminuição do desejo sexual e precisa ser diagnosticada e tratada na sua totalidade. Veja como a alimentação pode influenciar:

  • Consuma uma variedade de alimentos ricos em nutrientes, como frutas, legumes, grãos integrais, proteínas magras e gorduras saudáveis. Esses alimentos fornecem os nutrientes essenciais para a produção de hormônios sexuais e a manutenção da saúde sexual.
  • Inclua fontes de ômega-3, como peixes gordurosos, sementes de chia e nozes, que ajudam a melhorar a circulação sanguínea e a saúde cardiovascular, fundamentais para a função sexual saudável.
  • Evite o consumo excessivo de alimentos processados, açúcares refinados e gorduras trans, que podem ter efeitos negativos na saúde geral e na libido.

Outros fatores a observar:

  • Pratique atividade física regularmente, pois ela vai ser a responsável por aumentar a circulação sanguínea, melhora a saúde cardiovascular e promove a liberação de endorfinas, hormônios do bem-estar, que podem estimular a libido.
  • Gerencie o estresse uma vez que o estresse crônico pode afetar negativamente a libido. Encontre maneiras saudáveis de gerenciar o estresse, como meditação, ioga, técnicas de respiração, massagens ou hobbies relaxantes.
  • Priorize o autocuidado e reserve tempo para si mesmo. Aproveite atividades prazerosas, como ler um livro, tomar um banho relaxante ou ouvir música, para aliviar o estresse e promover o bem-estar emocional.
  • Estabeleça limites saudáveis e aprenda a dizer “não” quando necessário, para evitar sobrecarregar-se e priorizar sua saúde e bem-estar.

Sobre Vanessa Costa: nutricionista especializada em Nutrição Estética e Saúde da Mulher, é a criadora do Método Reset. Além disso, desde os 21 anos é empreendedora e fundadora de uma federação esportiva. Diariamente, Vanessa compartilha em suas redes sociais estratégias, receitas e seu estilo de vida, inspirando mais de 80k mulheres a alcançarem a felicidade e recuperarem o controle de suas vidas.

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

sexualidade-da-geracao-z

Decifrando a Geração Z: primeiro relatório global sobre a sexualidade dos zoomers

De acordo com a pesquisa, 59% dos membros da Geração Z desejam um relacionamento aberto ou poliamoroso, citando benefícios como "experiências de vida sexual e/ou romântica mais plenas" (65%), "mente aberta/aceitação em relação a diferentes formas de amor" (54%) e "ajudar as pessoas a se ficarem mais confortáveis em pedir o que desejam para maior satisfação" (46%). Veja mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics