Slow Dating: conheça a prática preferida de relacionamentos para 28% dos brasileiros

Segundo pesquisa do Bumble*, 28% dos entrevistados procura adotar a estratégia, que consiste em estabelecer uma conexão antes mesmo de decidir se encontrar pessoalmente.

O Bumble, o aplicativo de encontros que incentiva as mulheres a dar o primeiro passo, lançou recentemente seu relatório de tendências anual. O aplicativo obteve informações de mais de 25.000 solteiros em todo o mundo para identificar o que irá definir os relacionamentos no próximo ano.


2024 tem tudo para ser o “ano do eu”, com a pesquisa do Bumble mostrando que mais da metade (61%) das mulheres pesquisadas estão entrando no novo ano com uma visão muito clara do que desejam para suas vidas românticas.  


Além disso, autocuidado e saúde mental tornam-se prioridade, com mais da metade (66%) dos solteiros alegando estarem mais abertos sobre tais assuntos e fazendo um esforço consciente para desacelerar – reformulando a forma como namoram para se auto-protegerem. 28% disseram praticar o “slow dating”, preferindo qualidade em relação a quantidade, principalmente as mulheres.


Na verdade, um terço das mulheres está procurando ativamente pessoas que valorizem tanto o tempo quanto o autocuidado. Isso traz de volta uma tendência que o Bumble identificou na pandemia, desafiando a “jobificação” do amor, com 1 em cada 3 pessoas não gostando de sair com quem trata os encontros como uma tarefa obrigatória.


As previsões de tendências de encontros do Bumble incluem:

  • Romance intergeracional: Ampliando o conceito de namorar fora do seu “tipo”, houve um aumento nos relacionamentos intergeracionais. Os solteiros no Bumble estão cada vez mais abertos a conexões com pessoas mais velhas e mais jovens. Para 51% das pessoas, a idade não é um fator definidor ao namorar, com quase metade (48%) das mulheres dizendo que agora estão mais abertas a namorar alguém 1-2 anos mais jovem. Também estamos mudando a forma como vemos os relacionamentos dos outros, com mais de 1 em cada 3 (35%) mulheres no Bumble afirmando que vem julgando menos relacionamentos com diferenças de idade ao longo do último ano.
  • Causas compartilhadas: Os solteiros de hoje valorizam prioridades compartilhadas e esperam que seus parceiros não apenas se preocupem com causas sociais, mas também se envolvam ativamente. Val-Core refere-se ao aumento das pessoas valorizando o envolvimento em questões que lhes importam. Para 32% das pessoas no Bumble, é essencial que seu parceiro se envolva ativamente na política e em causas sociais, e isso os torna mais atraentes. Quando se trata de encontros, a pesquisa do Bumble mostra que as mulheres são menos receptivas a pessoas com visões políticas diferentes, e para mais da metade (54%) das mulheres, o potencial parceiro não estar ciente dos problemas da sociedade é considerado um “turn-off”.
  • Aceitação radical: Houve um aumento de pessoas que buscam o auto-aperfeiçoamento, lutando para se tornarem a versão perfeita de si mesmas. Isso levou a maioria dos solteiros (72%) a sentir pressão constante para encontrar maneiras de melhorar constantemente, deixando 20%  se sentindo indignos de um parceiro. Olhando para 2024, os solteiros estão se rebelando contra a busca constante pela melhoria pessoal, com mais de 2 em cada 3 mulheres pesquisadas (67%) tomando medidas ativas para serem mais felizes com quem são aqui e agora. Na verdade, 34 % das mulheres agora só vão namorar pessoas que não tentem mudá-las.
  • Intimidade emocional: Para as pessoas de hoje, e especialmente para as mulheres, parece que a atração se resume a uma coisa fundamental: intimidade emocional. Os solteiros estão focados em encontrar segurança e compreensão, com mais de um terço (36%) das pessoas entrevistadas no Bumble acreditando que a intimidade emocional é agora mais importante do que o sexo. Quando se trata de encontros, 3 em cada 4 mulheres (77%) afirmam que é fundamental que seu parceiro tenha compreensão tanto da intimidade emocional quanto da física. Em 2024, é hora de entrar em contato com suas emoções.
  • Nova masculinidade: O ano tem sido marcado por conversas globais sobre masculinidade e papéis de gênero na moda, mídia, música e cinema. Quando se trata de relacionamentos, 30% dos homens afirmam ter mudado ativamente seu comportamento, tornando-se mais vulneráveis e abertos com as pessoas com quem estão saindo. Para a mesma porcentagem de homens, essa abertura recém-descoberta teve um impacto positivo em sua saúde mental. 
  • Menos pressão: As pessoas, especialmente as mulheres, continuam a sentir uma pressão constante para seguir os caminhos tradicionais de relacionamentos. Em 2024, estamos vendo o declínio dessas expectativas em favor das mulheres que escolhem ativamente construir seu próprio caminho, com 1 em cada 3 (37%) mulheres dizendo que não estão mais focadas em seguir esses marcos tradicionais. Isso se reflete nas intenções, com 69% das  mulheres procurando um relacionamento de longo prazo e apenas 10% buscando o casamento. Para 20% das mulheres, isso significa namorar apenas pessoas que têm a mesma perspectiva em relação ao que procuram. Para 15%,  isso significa evitar ativamente amigos e familiares que as pressionam.


“Nossa pesquisa mostra que as conversas culturais estão influenciando fortemente a forma como as pessoas no Bumble abordam o namoro: fortalecendo seu senso de identidade e buscando indivíduos que valorizam o que é importante para eles, seja causas sociais, estilos de vida ou simplesmente seu time esportivo favorito. Em 2024, começa uma nova era no namoro, na qual as pessoas terão mais poder do que nunca para priorizar o que valorizam e o que não estão dispostas a tolerar, resultando em uma clareza renovada sobre seus desejos românticos”, afirmou Javier Tuirán, Diretor de Comunicação para o Bumble na América Latina.


Para ajudar os solteiros a tirarem o máximo proveito de 2024, o Bumble introduziu novos recursos, como Best Bees, um conjunto diário de quatro perfis compatíveis que o auxiliarão a encontrar conexões mais relevantes de maneira mais rápida. Viu alguém que compartilha sua paixão por esportes ou sustentabilidade? Você pode enviar uma mensagem a essa pessoa usando a função de Elogios.

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

camiseta-de-time-não-e-boa-pra-namorar

Camisetas de times não são adequadas para encontros amorosos

Ter um primeiro encontro com a pessoa desejada é um ‘golaço’ e tanto. Mas será que a camiseta do time favorito tem espaço durante a paquera? Segundo pesquisa apenas 3% dos usuários consideram as camisetas de time adequadas para dates. Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics