Por quê elas gostam tanto das preliminares?

Entenda o que torna o sexo bom para as mulheres e o que elas querem na hora H

Que homem nunca chegou afobado para a parceira e teve que desacelerar para fazer uma massagem?

Os homens se estimulam facilmente e gozam em poucos minutos, mas para as mulheres não parece ser tão simples assim. Carla Cecarello, sexóloga do site de encontros casuais C-date , conta o que faz a diferença para a mulher na hora do sexo.

“Os estudos mostram que uma relação sexual, como um todo, já com preliminares, leva no máximo vinte minutos. O homem leva de um a três minutos para se excitar e a mulher pode levar até três vezes este tempo”, afirma a especialista.

O homem se estimula rapidamente, muitas vezes visualmente ou mesmo fantasiando a situação.

A mulher precisa sentir a entrega, a dedicação e os toques no corpo para começar a esquentar. “Por essa razão, é importante que o homem seja menos afoito, mais dedicado e atencioso para com elas”, reforça a sexóloga.

Entretanto, dedicar um tempo às preliminares não significa fantasiar e performar exageradamente.

A relação fica chata quando um dos dois força situações e momentos sem espontaneidade. O sexo torna-se arrastado e as preliminares tornam-se uma tortura.

“O prazer é a entrega para o desejo e para a vontade e não a atuação como um ator ou atriz na cama”, ressalta Carla Cecarello.

As preliminares significam conexão. O ato do parceiro se conectar ao momento, ao ritmo e à parceira. Significa dedicação, demonstrando estar disposto a satisfazê-la, tanto quanto a si mesmo. Significa entrega, onde ela se deixará explorar, revelando seus segredos ao parceiro.

No fim, as preliminares favorecem o prazer, do começo ao fim. E nada melhor para uma preliminar que o respeito e o interesse.

Demonstrar interesse pela pessoa pretendida e chegar, por meio das preliminares, ao êxtase final.

Entre com seu email para receber as atualizações:

Desenvolvimento FeedBurner

 

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

Guia do ménage para mulheres: o que você precisa saber antes de apimentar a relação

Veja as respostas para as 10 maiores dúvidas de mulheres quando querem e estão à procura ou curiosas sobre um relacionamento liberal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.