Mulheres que buscam prazer não monogâmico são mais felizes no sexo, revela estudo inédito

Eu, Paula Aguiar, juntamente com Bárbara Anjos, Thaís Plaza e Luciane Cabral, estive na noite de 4 de junho de 2024 em São Paulo, no “1º Encontro sobre o Prazer Feminino”. Durante o evento, apresentamos uma pesquisa encomendada pela plataforma Gleeden, que ouviu 945 pessoas do público em geral e 1.500 usuários da plataforma. A pesquisa destacou a importância da satisfação sexual e sua relação com outras áreas da vida das mulheres.

O Gleeden, a maior plataforma de encontros discretos e não-monogâmicos do mundo, conduziu uma pesquisa sobre o prazer sexual das mulheres, um tema ainda cercado de tabus no Brasil. Realizado entre 20 e 29 de maio, o estudo contou com a participação de cidadãos em geral e usuários do aplicativo. Os resultados foram apresentados nesse encontro, que contou com a participação de Silvia Rúbies, Diretora de Comunicação e Marketing para a América Latina, além de convidados especiais como influencers, empresários e jornalistas dedicados ao tema da sexualidade.

Vale lembrar que o Brasil é o terceiro colocado nas buscas pelo termo “não-monogâmico” no Google, atrás apenas do Canadá e da Austrália. Isso mostra um crescente interesse sobre esse tipo de relacionamento. Em uma pesquisa anterior, o mesmo aplicativo revelou que 90% dos entrevistados afirmaram ter traído seu parceiro em algum momento.

Detalhes da Pesquisa

A pesquisa comparou as opiniões de dois grupos: 945 brasileiros em geral (52% mulheres e 48% homens) e 1.500 usuários do Gleeden (70% homens e 30% mulheres). Um dado relevante é que 80% das usuárias do Gleeden consideram sua libido alta, em contraste com apenas 21% das mulheres em geral. A maioria das mulheres em geral (57%) vê sua libido como normal, enquanto 17% a consideram baixa ou inexistente.

Durante o evento, destaquei que, segundo pesquisas atuais, no último ano, algumas das perguntas mais feitas no Google foram “o que é libido” e “o que é gozar”, mostrando o quanto a população em geral ainda carece de informação relevante sobre o prazer feminino.

Quando questionados sobre a importância do prazer sexual para as mulheres, 84% dos homens em geral e 100% dos homens usuários do Gleeden o consideram muito importante. Entre as mulheres, 63% do público geral e 84% das usuárias da plataforma atribuem alta importância ao prazer. O prazer feminino está em alta, mas ainda carece de conteúdo relevante que empodere as mulheres.

Impacto do Prazer no Dia a Dia

Quanto aos benefícios do prazer no cotidiano, 69% dos brasileiros acreditam que melhora o humor, 63% que reduz o estresse, 61% que melhora a saúde mental, 43% que melhora o sono e apenas 2% dizem que não afeta em nada. Entre os usuários do Gleeden, 72% afirmam que melhora o humor, 25% que reduz o estresse e 31% que melhora a saúde mental.

As mulheres em geral apontam que o prazer melhora o humor (53%), reduz o estresse (51%), melhora a saúde mental (38%), melhora o sono (34%) e 16% dizem que não afeta em nada. Entre as usuárias do Gleeden, 58% dizem que melhora o humor, 48% que reduz o estresse e 50% que melhora a saúde mental.

Além de todos esses benefícios, o sexo e, consequentemente, o prazer são fatores decisivos para o bem-estar geral das mulheres, além de contribuírem para seu bem-estar emocional.

Por fim, a pesquisa confirma os resultados de um amplo estudo do Instituto Kinsey de 2016, que entrevistou 1.500 pessoas em vários tipos de relacionamentos. O estudo revelou que aqueles em relacionamentos abertos, ou seja, não monogâmicos, são mais conscientes de seus desejos e necessidades emocionais, portanto, mais felizes do que aqueles em relacionamentos monogâmicos.

Sobre o Gleeden

Gleeden é a principal plataforma de encontros discretos e relações não-monogâmicas do mundo, desenvolvida por uma equipe 100% feminina para empoderar mulheres a serem fiéis aos seus sentimentos e desejos. Com quase 12 milhões de usuários ativos globalmente, oferece segurança, privacidade e liberdade para quem busca novas experiências.

Autor Paula Aguiar

Publicitária, Consultora e expert em Mercado Erótico, Escritora e empresária. Atua no Mercado Erótico Brasileiro desde o ano 2000. Autora de 17 livros de negócios e sobre produtos eróticos para os consumidores. De 2010 a 2017, presidiu a ABEME – Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico. Citada em mais de 100 teses universitárias e livros de sexualidade sobre o tema. Desenvolve e projeta produtos eróticos e cosméticos sensuais para os maiores players do setor. Criadora do primeiro seminário de palestras para empresários do mercado erótico em 2006. Apoiadora e partícipe dos mais importantes eventos eróticos do mundo. Também idealizadora do Prêmio Melhores do Mercado Erótico e Sensual que, desde 2016, anualmente elege as melhores empresas, as inovações, os produtos mais queridos e desejados e as ações que estimularam o desenvolvimento do setor. É fundadora e co-autora do site MercadoErótico.Org.

LEIA TAMBÉM

camiseta-de-time-não-e-boa-pra-namorar

Camisetas de times não são adequadas para encontros amorosos

Ter um primeiro encontro com a pessoa desejada é um ‘golaço’ e tanto. Mas será que a camiseta do time favorito tem espaço durante a paquera? Segundo pesquisa apenas 3% dos usuários consideram as camisetas de time adequadas para dates. Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics