lingerie-trans

Marca de lingerie trans lança campanha de utilidade pública

Para esconder órgão sexual masculino, mulheres transgêneros sofrem com infecção e insuficência renal

Seja por incômodo, disforia de gênero ou para se proteger da violência no país que mais mata trans do mundo, “aquendar” é uma prática usada entre as travestis, cross dressers, drag queens e mulheres trans para esconder o órgão genital, puxando-o para trás, entre as nádegas.

Mais do que uma questão estética, que as ajuda a se conectar com seu corpo, é um modo de sobrevivência. Ao esconder a protuberância, elas se protegem de olhares discriminatórios e da intolerância.

Entretanto, a prática é feita de forma rudimentar, com a utilização de colas, fitas adesivas e barbantes, provocando assaduras, bolhas, dores e ferimentos. Ela também impossibilita o uso regular do banheiro já que desfazer a aquendação é, além de extremamente dolorido, demorado e trabalhoso.

Assim, mulheres trans passam horas sem beber água na tentativa de adiar este momento. A consequência inevitável são os problemas renais, que podem levar a infecções, pedra nos rins, necessidade de hemodiálise e, em casos mais severos, à morte.

O urologista Marcelo Magalhães, especializado em saúde LGBTQIA+, explica que a principal causa de problemas urinários são os hábitos. “Beber pouco líquido deliberadamente para não ir tanto ao banheiro e segurar a urina por muito tempo podem levar a infecções urinárias e formação de cálculos urinários. É o que acontece com as pessoas com pênis que escondem o genital e evitam o trabalho de ir ao banheiro, por exemplo”.

O problema é uma grave ameaça à saúde pública. Ao tomar contato com essa realidade, a técnica em hemoterapia Silvana Bento não se conformou. “Saber que várias mulheres transexuais chegavam ao ponto de ter que fazer hemodiálise ou se submeter a cirurgias por causa disso, mexeu comigo”, conta.

Motivada pela perda de uma amiga nessas condições, Silvana desenhou e patenteou uma calcinha em forma de funil, criada especificamente para esse público. Com um design extremamente confortável, fácil de colocar e tirar, o modelo traz a segurança e o conforto necessários para o dia a dia.

No final de abril, a empresária lançou uma campanha para a marca, a Trucss, Lingerie para mulheres trans. Veiculada na TV Record e repostada nas redes sociais da apresentadora Sabrina Sato, a ação joga holofote em uma alternativa que reúne estilo, design, saúde, segurança e sofisticação em um produto simples, que pode ajudar a mudar a realidade de uma população invisibilizada.

“Eu me aquendava com fita crepe. Se ficasse qualquer volume, meus colegas falavam alguma coisa. Eu não conseguia ir ao banheiro, evitava ao máximo beber água. Era cansativo, me machucava, chegava a assar, a dar alergia. Mas eu não tinha escolha”.

O relato é de Melina Queiroz, de 22 anos, modelo que aparece dançando no vídeo. Mas podia ser de várias outras mulheres transexuais que vivem ou viveram situação semelhante. Pessoas que não tiveram escolha. 

“Nosso objetivo é conseguir ganhar escala para baratear o produto e possibilitar que o maior número possível de mulheres trans se sinta confortável e possa fazer o básico de qualquer ser humano, que é ir ao banheiro sem dificuldades,” conclui Silvana, mostrando que, agora, as mulheres trans têm escolha. 

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

camiseta-de-time-não-e-boa-pra-namorar

Camisetas de times não são adequadas para encontros amorosos

Ter um primeiro encontro com a pessoa desejada é um ‘golaço’ e tanto. Mas será que a camiseta do time favorito tem espaço durante a paquera? Segundo pesquisa apenas 3% dos usuários consideram as camisetas de time adequadas para dates. Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics