fetiches-curiosos-dia-do-sexo

Dia do Sexo: conheça fetiches comuns entre os brasileiros

Neste dia 6/9, conheça algumas práticas sexuais curiosas e que atraem os brasileiros

O Dia do Sexo (6/9) é comemorado desde 2008 é um convite para aqueles que querem se aventurar com diferentes formas de prazer.  A ocasião pode ser perfeita para quem quer conhecer mais de perto ou colocar em prática algum fetiche.

Gustavo Ferreira, head de marketing do Ysos, app que reúne solteiros e casais praticantes de swing, explica que os fetiches são interesses sexuais específicos, por vezes incomuns, mas que nos lembram que a sexualidade é complexa e individual. “Desde que haja consentimento e respeito mútuo, a prática pode enriquecer a intimidade entre parceiros. Cada um pode explorar seus desejos de diferentes maneiras”.

O casal Moisés* e  Raquel*, do Paraná, conta que têm uma relação de mais de 20 anos, pautada pela honestidade. Em dado momento, sentiram que seria a hora de colocar em prática um fetiche que há muito tempo eles desejavam: o ménage a trois. “No começo, ela tinha receio de tocar ou ser tocada. Até que rolou o primeiro beijo. Daí em diante é história. Desde então, gostamos de nos relacionar com outras mulheres, é nosso ponto fraco. Já tentamos com casais, mas não foi algo que nos fizesse repetir a experiência”, compartilha Moisés.

Amante do sexo grupal, Thomas* organiza festas em sua casa desde 2018. Ele conta que os encontros costumam ter entre 8 e 11 pessoas e que mesmo o gang bang sendo um fetiche, existem outros que acontecem ao mesmo tempo, como o BDSM. Ele revela também uma curiosidade: está cada vez mais difícil encontrar ativos. “Já fiz encontros com um único passivo submisso, satisfazendo mais de 5 ativos, mas hoje é difícil encontrar. Todo mundo quer ser passivo”. diz.

Vinícius* tem fetiches em sungas e cuecas. Para ele, não há nada mais excitante que o desenho que as peças fazem no corpo, destacando a virilha e a cintura. “Não importa o tipo, se é fio dental, tanga, jockstrap… desde que ressalte o corpo masculino está ótimo para mim. Geralmente, quando vejo alguém assim fico admirando, que é o que dá pra fazer, né?! Mas se estou sozinho e vejo na internet, com certeza vou me masturbar e imaginar coisas”,  diz.

O fato é que existem tantos fetiches diferentes que fica difícil reunir todos. Ainda assim, o Ysos aceitou o desafio e listou alguns dos mais curiosos. Confira!

Adstringopenispetrafilia: a palavra até parece um palavrão, mas na verdade ela representa o tesão que a pessoa sente em amarrar pedras ao pênis (como um pêndulo);

Bondage: neste caso, o prazer vem da imobilização do parceiro, geralmente amarrado. Aqui, a dica é sempre ter uma palavra de segurança para garantir que tudo ocorra bem.

Cuckold: cada vez mais famoso, este é o fetiche do corno, aquele em que o homem sente prazer em ver sua mulher transando com outros homens.

Crinofilia: que o corpo é um dos centros das atenções na hora do sexo todo mundo sabe. Mas, há quem fique excitado por aquilo que o corpo produz, como saliva, suor…

Dogging: intimamente ligado ao exibicionismo, este é o fetiche em transar no carro, estacionado em local público, enquanto pessoas ao redor se masturbam.

Espectrofilia: quem acha que fetiche é coisa só de gente de carne e osso se engana. A espectrofilia é uma prática antiga que consiste na excitação pelo contato com espíritos, fantasmas, etc.

Golden Shower: também conhecido como Chuva Dourada, esta é a prática em que uma pessoa urina na outra.

Imagoparafilia: os tabus acerca do sexo são tantos que muitas pessoas não conseguem colocar em prática seus desejos. A imagoparafilia é justamente o tesão em se imaginar realizando algum fetiche, sem praticá-lo.

Kosupurefilia: os cosplayers também são objeto de desejo de muitas pessoas.

Ménage à trois: queridinho entre os usuários do Ysos, é o famoso sexo a três.

Nesofilia: é o fetiche por transar em ilhas, geralmente nas desertas.

Odaxelagnia: prazer em dar e receber mordidas durante o sexo.

Podolatria: bastante famoso, esse é o tesão por pés. A excitação é mais comum do que se imagina e pode envolver vê-los, acariciá-los, cheirá-los, massageá-los, entre outras coisas.

Quirofilia: se os pés são atrativos, as mãos não ficam atrás. Tem muita gente que tem tesão nelas.

Sadomasoquismo: bastante popular, é o prazer por sofrer e ao mesmo tempo causar dor a outra pessoa (de maneira consensual, é claro!)

Tricofilia: fetiche por cabelos e pêlos. As opções são inúmeras, desde cabelos longos, peitos cabeludos, pernas, bundas, axilas… 

Voyeurismo: também muito comum entre os exibicionistas, esse é o prazer por observar a intimidade de outras pessoas nuas ou praticando sexo.

* os nomes das pessoas entrevistadas nessa matéria são fictícios para proteger sua identidade

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

beneficios-do-pompoarismo-para-a-saude-da-mulher

Os Benefícios do Pompoarismo para a Saúde da Mulher

O pompoarismo é uma prática milenar originária da Índia e difundida na Tailândia, que consiste em exercícios de contração e relaxamento dos músculos do assoalho pélvico. Essa técnica, muitas vezes associada à sexualidade feminina, oferece uma série de benefícios para a saúde da mulher que vão muito além do aspecto sexual.  Veja mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics