live-doce-olhar-lingerie

Conheça Doce Olhar Moda Íntima e Too Close

Na live dessa sexta, dia 14, a partir das 18h estaremos no showroom da Doce Olhar Moda Íntima e da Too Close em Goiânia para conhecer as coleções feminina e masculina das marcas

A Doce Olhar Moda Íntima começou em 2019, e hoje fabrica mais de 6 mil peças em Goiânia, distribuindo para todo o Brasil, estando inclusive disponível nas principais atacadistas de produtos sensuais e de lingerie do país.

Esse sucesso meteórico segundo a diretora, Raquel Cristina, está no DNA da marca: “a Doce Olhar começou por força do destino”.

Ela explica que sempre teve um sonho de ser uma empresária de sucesso. Mas depois de algumas tentativas resolveu se formar em Direito, mesmo que por volta do 5º período já tinha entendido que advocacia ou concurso não seriam pra ela.

“Queria ter um negócio online mas não sabia o que, me aventurei em marketing multi nível. E uma crise amorosa me tirou da caixinha. Meu relacionamento tava em crise e eu resolvi apimentar, tinha comprado o curso de pompoarismo da Cátia Damasceno, mas não praticava.”

Porém todas as incursões de Raquel a levariam a encontrar sua verdadeira vocação por caminhos não tão convencionais.

Do curso de Pompoarismo , surgiu um grupo de mulheres para ajudá-la com os treinos, mas foi lá que ela teve o primeiro contato com o mercado erótico através das dicas de produtos e sensualidade.

“Resolvi comprar por uma loja do Instagram, a moça por falta de malícia ou experiência me mandou um catálogo que direcionava ao site do distribuidor. Eu logo achei interessante comprar um pouco mais. Só que essa história de comprar um pouco a mais, comprei além, aí pensei em vender para algumas amigas assim pagaria minha compra”.

Foi então que a faculdade de Direito ajudou, mas não com os conhecimentos de leis e processos judiciários e sim com a primeira clientela de Raquel.

“No 10º período de faculdade as minhas revendas já eram um sucesso”
, lembra Raquel que então começou a estudar outras coisas como vender no Instagram e no Mercado Livre.

Até que um dia, Raquel conheceu a calcinha tailandesa…

Há cerca de dois anos, surge essa peça icônica no vestuário feminino tem sido até hoje a grande coqueluche do momento: uma calcinha com fundo em formato de anel de pérolas, para encaixar no pênis durante a penetração.

Raquel embarcou nessa onda, mas agradece até hoje o fato de que as calcinhas tailandesas que comprava na época de uma distribuidora não eram “muito atrativas”.

“Resolvi fazer uma pra vender para as minhas clientes que eram poucas. Porém, mesmo com a experiência que já tinha com confecção, nessa primeira mini produção fiz quase 300 calcinhas! Foi onde eu pensei: não tenho 300 clientes, vou tentar vender na distribuidora que compro, por sorte a dona da distribuidora nem olhou minhas calcinhas” comemora Raquel os desafios de seu caminho que a levaram a realização do seu novo projeto.

Mesmo levando esse “não” inesperado em seu começo, Raquel não desistiu e bateu na porta de 15 lojas, sendo que, em somente na última delas, recebeu o seu primeiro “sim”.

“E assim fui em busca diariamente de lojas que diriam sim pra mim. Levei muitos nãos. Mas as pessoas que compravam recompravam bem rápido, era um sucesso. Aí surgiu necessidade de ter outros produtos. Tudo começou com uma malinha, hoje temos um estoque gigantesco com cerca de 25 mil itens” conta.

O meu contato direto com cliente sempre fez a diferença.

“Atendendo as necessidades dos lojistas abrimos a Too Close voltado para o público homossexual masculino. Estamos iniciando também a coleção de fantasias eróticas. Somos jovens no mercado erótico, mas nossa missão é levar prosperidade aos nossos clientes lojistas e momentos inesquecíveis para nosso consumidores finais” explica Raquel que diz que se encontrou no seu novo negócio.

Nessa sexta, vamos estar ao vivo diretamente do showroom da
Doce Olhar Moda Íntima pelo instagram @mercadoerotico

E você se lembra do primeiro não de Raquel? Hoje essa distribuidora que negou a calcinha tailandesa dela é sua “clientona” como ela diz com um sotaque bem regional de Goiás. “Digo que foi 2 coisas que ela fez de importante, ela ri até. Vender tailandesas feias e não comprar as minhas. Agora ela só tem tailandesa top” diz sempre muito bem humorada.

“Adoro trabalhar com lojistas em parceria onde todos nós crescemos” afirma Raquel que tem inúmeros depoimentos de clientes que adoram trabalhar com ela:

Com atendimento personalizado e humano de Raquel e suas criações maravilhosas como não ter tanto sucesso?

Confira o catálogo da Doce Olhar Moda Íntima:

catalogo-doce-olhar-atacado
lista-fornecedores-sexshop

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

SPMAR distribui 16 mil absorventes para mulheres em condições de vulnerabilidade

Doações são destinadas para quatro organizações que trabalham com mulheres em condições de vulnerabilidade na região do entorno do Rodoanel

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *