6 curiosidades sexuais dos homens. Você precisa ver isto já!

Estes 6 fatos sexuais surpreendentes, desde o tamanho do pênis até o “ponto G” masculino, mudarão o modo como você vê a sexualidade masculina.

Muitos homens veem o orgasmo feminino como um dos maiores mistérios da vida. A diferença entre um orgasmo vaginal e um orgasmo clitoriano pode deixar um homem confuso e inadequado. E já falamos disto aqui.  Assim como as mulheres, a sexualidade masculina envolve mais do que apenas estimulação e ejaculação, inclui bem-estar emocional, psicológico e físico.

A sexualidade masculina é mais complicada do que imaginamos, desde o tamanho do pênis até o “ponto G” masculino. Há muito sobre a anatomia masculina e como ela funciona que pode mudar a forma como pensamos sobre os homens e o sexo. Os seis fatos abaixo podem nos equipar para entender a masculinidade e mudar nossa vida amorosa – para melhor.

  1. O ponto G masculino existe

Semelhante às mulheres, os homens têm um “ponto G” que é localizado aproximadamente de três a cinco centímetros dentro do ânus em direção aos testículos, e é mais ou menos do tamanho de uma noz. Tocar o ponto G permite que a próstata seja estimulada, levando um homem a ter um orgasmo intenso sem sequer tocar seu pênis. Isso também é conhecido como “massagem da próstata”, que tem como alvo o ponto G masculino, então, inevitavelmente, é muito bom.

  1. Inevitabilidade ejaculatória é bastante comum

A maioria dos homens irá inevitavelmente atingir o orgasmo depois de receber certa quantidade de estímulo. Em um estudo publicado no Journal of Sex Research , pesquisadores cunharam o termo “inevitabilidade ejaculatória” para descrever esse fenômeno. Eles descobriram que 75% dos homens atingem o orgasmo depois de dois minutos ou menos de masturbação.

  1. O período refratário dura meia hora ou mais

Os homens precisam descansar um pouco antes de atingirem outro orgasmo – isso é conhecido como período refratário. Durante esse tempo, um homem não pensa em sexo ou fica excitado, e de acordo com a Sociedade Internacional de Medicina Sexual o corpo não responde à estimulação sexual ou atinge o orgasmo novamente até que esse período termine. Pode durar meia hora ou mais para que o corpo volte a reagir sexualmente. Tudo isso depende de idade, aptidão física e estilo de vida.

  1. O pênis ereto médio tem 14 centímetros de comprimento

O comprimento do pênis médio ereto é de 14 centímetros de comprimento, de acordo com um estudo publicado no Journal of Sexual Medicine . Os pesquisadores descobriram que esses números auto relatados são consistentes com outras pesquisas sobre o tamanho do pênis. O estudo também descobriu que o menor pênis tem 4 centímetros de comprimento, enquanto o mais longo tem 26 centímetros de comprimento.

  1. Sexo oral faz o pênis maior

O mesmo estudo publicado no Journal of Sexual Medicine descobriu que o sexo oral aumenta o tamanho do pênis para os homens. Aqueles que receberam sexo oral antes do auto relato de seu tamanho tiveram pênis significativamente maiores do que os homens que mediram depois de fantasiar apenas, ou aqueles que estavam se masturbando. Talvez o sexo oral seja um aprimoramento do tamanho natural. (Acho que temos que nos aprofundar neste tópico)

  1. Existem dois tipos de pênis masculinos

Sim, existem dois tipos de pênis masculinos – conhecidos como “produtores” e “chuveiros”. A pesquisa encontrou 79 por cento dos homens com pênis produtores e 21 por cento chuveiros. O pênis produtor se expande e fica mais comprido à medida que se ergue. Por exemplo, se tiver 14 centímetros antes de ser estimulado, poderia medir de dezessete a vinte quando totalmente ereto. Contrastantemente, o pênis chuveiro parece maior quando não ereto. Este tipo de pênis não aumenta muito após a ereção. Então, se um tipo chuveiro tiver 14 centímetros, ele pode não ficar maior do que 15,5 após a ereção.

Parece que, como as mulheres, a sexualidade masculina é mais complicada do que pensávamos.

 

Autor Paula Aguiar

Publicitária, Consultora e expert em Mercado Erótico, Escritora e empresária. Atua no Mercado Erótico Brasileiro desde o ano 2000. Autora de 17 livros de negócios e sobre produtos eróticos para os consumidores. De 2010 a 2017, presidiu a ABEME – Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico. Citada em mais de 100 teses universitárias e livros de sexualidade sobre o tema. Desenvolve e projeta produtos eróticos e cosméticos sensuais para os maiores players do setor. Criadora do primeiro seminário de palestras para empresários do mercado erótico em 2006. Apoiadora e partícipe dos mais importantes eventos eróticos do mundo. Também idealizadora do Prêmio Melhores do Mercado Erótico e Sensual que, desde 2016, anualmente elege as melhores empresas, as inovações, os produtos mais queridos e desejados e as ações que estimularam o desenvolvimento do setor. É fundadora e co-autora do site MercadoErótico.Org.

LEIA TAMBÉM

maio-mes-da-masturbacao

Mês da Masturbação: Prazer a sós – o essencial para experiências extasiantes

A masturbação é um ato natural e de liberdade, que contribui não só para o autoconhecimento e a autoestima, como também para a exploração de novos caminhos na intimidade a dois. Conheça o essencial para viver experiências de prazer a sós ainda mais extasiantes. Por Jorge Sousa*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.