autoestima-pandemia

5 dicas para melhorar a autoestima e ser mais feliz em 2022

A pandemia afetou o bem-estar físico, emocional e mental de milhares de brasileiros. Manter a autoestima nesse período tornou-se uma busca diária e difícil; pensando nisso, a psicóloga Vanessa Gebrim e o Fisioterapeuta Dermato Funcional Igor Lustosa listam algumas dicas para quem procura alternativas para cuidar do próprio bem-estar

O período de isolamento social não é um momento fácil para se lidar. Em meio às mudanças na vida profissional e pessoal, se adaptar pode se tornar um processo difícil e doloroso.

Para se ter ideia, de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), em onze países, o Brasil lidera os casos de depressão e ansiedade durante a pandemia.

De acordo com o estudo, o país é o que mais tem casos de ansiedade (63%) e depressão (59%). Números como esses mostram como a saúde mental dos brasileiros foi afetada durante a pandemia.

Para a psicóloga Vanessa Gebrim, especialista em Psicologia Clínica pela PUC de SP, sentir-se bem tem sido um desafio para muitas pessoas nessa fase de pandemia.

“As frustrações comprometeram até mesmo a autoestima, já que muitas pessoas não conseguiram realizar os projetos que tinham planejado. Esse aumento nos casos de depressão e ansiedade se deram também por conta das mudanças drásticas na rotina, além de todo o medo e incerteza que vieram junto. As pessoas ficaram com as emoções à flor da pele, o que prejudica o equilíbrio e contribui para a baixa autoestima”, explica.

De acordo com o Fisioterapeuta Dermato Funcional e influenciador digital Igor Lustosa, a estética começou a ser ainda mais uma forma das pessoas cuidarem de si e estimularem a autoestima neste período.

Os cuidados estéticos podem ser tomados para melhorar a autoestima, porque são tratamentos feitos para melhorar a pele, o olhar, o corpo e o cabelo das pessoas. Em um período como este, as pessoas devem buscar justamente coisas que fazem elas se sentirem bem, além de trazer uma autoconfiança e segurança maior”, entende.

Pensando em quem busca alternativas para melhorar o bem-estar físico e mental durante a pandemia, os especialistas listaram algumas dicas. Confira:

1. Faça terapia

A falta de autoestima pode ser uma ponte para quadros de ansiedade, medos, fobias e até para depressão.

“Procurar um profissional pode ser necessário e ajuda no sentido de fazer com que o paciente entre no processo de autoconhecimento, trazendo mais segurança e autonomia para sua vida. Além disso, contribui no controle das emoções, fortalecendo a autoconfiança e auto aceitação. Existem abordagens e técnicas bastante eficazes que podem ser a chave para a melhora do bem-estar emocional da pessoa”, explica Vanessa Gebrim.

2. Se cuide mesmo estando em casa

Alguns cuidados podem ser tomados mesmo durante o isolamento social. “Durante a pandemia, as pessoas que gostam precisaram parar de ir às clínicas fazer procedimentos estéticos. Mas, mesmo estando em casa, existem coisas que podem ser feitas. A principal e mais fácil é adotar uma prática diária de skin care. Existem vídeos na internet que ensinam passo a passo pra quem quer cuidar da pele em casa, mas é importante ressaltar o cuidado que se deve ter. É importante usar substâncias e produtos que sejam conhecidos e, de preferência, com indicação do seu profissional”, diz Igor Lustosa.

3. Comemore as pequenas conquistas

Durante o período de pandemia, para algumas pessoas se tornou mais difícil conquistar coisas que antes seriam fáceis. Comemorar essas conquistas se tornou um fator essencial para a saúde mental.

“Quando celebramos algo que fizemos e deu certo, ativamos sentimentos bons dentro de nós, sentimentos de recompensa. Nossa mente registra isso para sempre, ajudando-nos a nos sentir mais capazes diante de novos desafios e contribuindo para que sejamos mais confiantes e plenos”, complementa a psicóloga.

4. Massagens podem ser uma saída

A massagem é um procedimento antigo e até mais acessível que estimula os bons hormônios (endorfinas).

“As massagens revigoram o paciente, além de haver vários tipos de massagem: relaxante, modeladora para redução de gordura e a drenagem linfática, uma técnica muito utilizada para retenção hídrica e de uma certa forma oxigena o tecido e melhora o corpo. A massagem é um recurso estético que traz um retorno imediato, diferente de outros procedimentos que levam algum tempo. Esse imediatismo de resultado pode ser essencial principalmente em tempos de pandemia”, entende o especialista Igor Lustosa.

5. Se olhe e se entenda

É importante entender que tudo o que a pessoa fizer que, de alguma forma, contribua para que ela se orgulhe de si, a ajudará a fortalecer sua autoestima.

“Quando a pessoa está focada em seus aspectos negativos, a insegurança certamente estará presente em sua rotina e relacionamentos. Dentro do processo de autoconhecimento, a pessoa aprende a gerenciar suas emoções e desenvolve sentimentos positivos sobre si e sobre o mundo. É importante entender que tudo o que a pessoa fizer e que de alguma forma contribuir para que ela se orgulhe de si contribuirá para fortalecer a autoestima em tempos tão difíceis como o que estamos vivendo”, conclui a psicóloga Vanessa Gebrim.

Sobre Vanessa Gebrim 

Vanessa Gebrim é Pós-Graduada e especialista em Psicologia pela PUC-SP. Teve em seu desenvolvimento profissional a experiência na psicologia hospitalar e terapia de apoio na área de oncologia infantil na Casa Hope e é autora de monografias que orientam psicólogos em diversos hospitais de São Paulo, sobre tratamento de pacientes com câncer (mulheres mastectomizadas e oncologia infantil). É precursora em Alphaville dos tratamentos em trauma emocional, EMDR, Brainspotting, Play Of Life, Barras de Access, HQI, que são ferramentas modernas que otimizam o tempo de terapia e provocam mudanças no âmbito cerebral. Atua também como Consteladora Familiar, com abordagem sistêmica que promove o equilíbrio e melhora relações interpessoais. Tem amplo conhecimento clínico, humanista, positivista e sistêmico e trabalha para provocar mudanças profundas que contribuam para a evolução e o equilíbrio das pessoas. Mais de 20 anos de atendimento a crianças, adolescentes, adultos, casais e idosos, trata transtornos alimentares, depressão, bullying, síndrome do pânico, TOC, ansiedade, transtorno de estresse pós traumático, orientação de pais, distúrbios de aprendizagem, avaliação psicológica, conflitos familiares, luto, entre outros.

Sobre Igor Lustosa

Igor Lustosa é especializado em fisioterapia dermato funcional e mestrando em Meio Ambiente. Atualmente é docente do curso de Fisioterapia da UNDB/MA. Além disso, palestra em congressos, jornadas e simpósios por todo o país. Possui mais de 44 mil seguidores em seu perfil no Instragram  https://www.instagram.com/igorlustosa/ e conta com um Canal no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCfVDIEVt940Rpg5dMCF5HIw?app=desktop

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

Dicas de alimentação na TPM, gravidez e menopausa

Toda mulher passa por diferentes fases no ciclo fértil. Cada uma com características específicas, mas todas com alterações hormonais que afetam tanto a saúde física como mental. Para amenizar os sintomas, nada melhor do que apostar numa aliada eficaz: a alimentação equilibrada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *