workshop-educacao-sexual-sexshop

21/02 – WORKSHOP DE EDUCAÇÃO SEXUAL PARA EMPREENDEDORES DE SEX SHOP

Erica Rambalde, a musa inspiradora da saga “De Pernas pro Ar” irá ministrar um workshop gratuito no próximo dia 21, domingo, às 17h, em parceria com a Escola de Negócios Mercado Erótico. O objetivo é atualizar os empreendedores de sex shop de como atender melhor às demandas de seus clientes na era da pandemia.

O ano de 2020 foi um marco histórico para a sexualidade humana em todo o mundo. E apesar do advento da vacina, o isolamento social e o uso de máscaras ainda se faz necessário como a melhor forma de se proteger frente ao contágio do Covid-19.

Parece “simples” na prática, mas quando o assunto é intimidade, evitar a proximidade corporal durante o contato sexual torna-se um grande desafio.

O planeta então se dividiu entre dois grandes grupos de pessoas: solteiros e casados.

Os solteiros na impossibilidade de desenvolver o tão já corriqueiro sexo casual, se viram fechados em casa por pelo menos 5 meses. E mesmo com a flexibilização da quarentena, muitos não se arriscam a voltar aos encontros

O jeito foi então recorrer aos sex toys e aos aplicativos de sexo virtual sem muitas expectativas de um date real. A masturbação passou a ser foco da maioria dos solitários pelo mundo e não faltam dicas das melhores formas de como praticar o sexo solo na internet.

Entre os casados, à primeira vista pode-se pensar que a pandemia trouxe uma possibilidade de uma segunda lua de mel, mas não foi bem assim para muitos casais.

O crescente número de divórcios mesmo após flexibilização da quarentena, mostra que a necessidade de se trabalhar em home office e ter os filhos 24 horas por perto, pegou muita gente de surpresa.

Principalmente para aquelas pessoas que planejaram a casa com um espaço pequeno e aconchegante destinado apenas para momentos de descanso.

No meio do caminho, estão os namorados que viviam em casas separadas e tiveram apenas duas formas de se relacionarem durante a pandemia: cada um no seu quadrado praticando sexo virtual através da internet ou com teledildonics, ou adiantando os planos de juntarem enfim as escovas de dentes. Vai saber o que deu mais certo ou o que deu errado nesses arranjos…

Tendências

A aceitação e indicação urgente da masturbação como a forma de sexo mais seguro, já é um grande passo para a humanidade. Mitos e tabus foram postos de lado em nome da manutenção da vida.

Tanto mulheres e homens exploraram mais seus corpos em busca do auto prazer, o que tem apontado para um empoderamento mais legítimo do exercício da sexualidade.

Mas de outro lado, essas descobertas despertaram novos fetiches, fantasias e até mesmo novas orientações sexuais. O que fazer para desver agora o que foi visto?

Um outro dado que o isolamento social revelou é que os sex toys como inovação no relacionamento por si só não dão conta do recado. Para casais que não dialogam, não surtem efeito ou pior: podem causar traumas e crises.

Enquanto isso, a tecnologia se mostrou uma benção para aqueles que buscavam nos sex tech uma diversão a distância. Muitos sex toys de última geração inclusive lançaram apps que integravam uma comunidade de estranhos para comandar vibradores a distância. Mas será que estão a salvo dos hackers? E como preencher o vazio afetivo que pode surgir dessa prática?

Desafios

Muitos especialistas tem comparado o impacto da pandemia do Coronavírus para a sexualidade com o surgimento da AIDS.

Sim, de fato, tivemos que aprender a inserir o uso do preservativo nas relações sexuais como forma de prevenção. Mas até aí, os toques, os abraços e os beijos estavam permitidos.

Com o Coronavírus o distanciamento corporal seguro é de 1m 80cm, existe alguma posição sexual que favoreça essa medida?

Como lidar com a carência afetiva advinda dela ou da ausência total dela? Como lidar com a culpa de ter transmitido a Covid-19 para um parceiro ou o ressentimento de ter pego dele?

Como sair da sensação de sufocamento de um isolamento familiar onde tudo o que é proposto como novidade pode ser mais um motivo pra briga ou decepção?

Como vender produtos sensuais para as pessoas com tantas dúvidas?

Workshop de Educação Sexual para Empreendedores de Sex Shop

Para responder a todas essas questões, Erica Rambalde, a musa inspiradora da saga cinematográfica “De Pernas pro Ar” decidiu então realizar um workshop on line gratuito em parceria com a Escola de Negócios Mercado Erótico, no próximo dia 21, às 17h.

Erica Rambalde é dona da marca Sexy Delícia e pioneira no movimento “mala roja” no Brasil.

Para quem não conhece o termo, vem da Espanha e nomeia as mulheres que saem com uma mala de rodinhas recheadas de produtos sensuais para revender porta a porta ou em sexy party, como os americanos gostam de dizer, nas festas sensuais, como chá de lingerie e despedidas de solteira.

Na crista da onda, Erica acompanhou todo o crescimento do mercado erótico na última década, observando o consumo feminino e o mais recente empoderamento, onde a mulher decide sobre sua autoestima antes de pensar no parceiro.

Se formou como Educadora Sexual e agora também é Coach de Relacionamentos, palestrando por todo o país.

O objetivo desse workshop é atualizar os empreendedores de sex shop de como atender seus clientes com uma informação mais segura sobre sexualidade nesse “novo normal” a partir da prática de uma educação sexual mais consistente.

“É no momento da venda dos produtos que conseguimos entrar na intimidade do nosso cliente e ajudá-lo a ter uma vida sexual mais saudável e prazerosa. Venda de sex shop não é apenas uma venda, é uma conversa , é um consellho,” explica Erica.

O Workshop Educação Sexual para Empreendedores de Sex Shop é gratuito e será realizado ao vivo on line pelo Zoom. Veja conteúdo programático abaixo:

– Sexualidade em Tempos de Pandemia

– Tendências de consumo em 2021

– 5 erros comuns de educação sexual no atendimento em sex shop

– 8 vantagens da educação sexual para fechar vendas

– 3 histórias reais de transformação na vida do cliente através de atendimentos com educação sexual

– Perguntas e Respostas

As vagas são limitadas!

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

vacina-ou-mamografia-outubro-rosa

Outubro rosa: vacina ou mamografia?

Especialistas alertam para a necessidade de intervalo entre vacina da Covid-19 e a realização de exames de rastreamento de câncer de mama. Saiba mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *