Como levar vibradores nas viagens?

Para evitar que sua mala vire o meme dessa próxima temporada preparamos um check list para você que quer viajar e levar seu querido vibrador juntinho e em segurança para suas férias inesquecíveis. Confira abaixo.

Para muitas pessoas, o vibrador e outros sex toys já se tornaram tão indispensáveis no dia a dia que seria impossível não levá-los também para as viagens.

Principalmente no Carnaval, já é um costume que os brinquedos eróticos estejam presentes na folia, a festa mais sexual do planeta.

Tem gente que nem vai usar o vibrador, mas só de saber que ele está sempre a mão em qualquer situação já sente maior segurança emocional.

E também há aquelas pessoas que não podem deixar jamais que seu sex toy seja descoberto em sua ausência, seja pelos pais, pelos filhos, ou por seus parceiros e colegas de quarto. Então é melhor levar mesmo.

E depois, você pode guardar boas recordações de momentos em que foi feliz junto com o seu vibrador e toda vez que usá-lo novamente vai lembrar daquela viagem em que vocês viveram grandes aventuras juntos!

Estou eu falando aqui no singular, mas pense que desafio é para alguém como a Sabrina Sato escolher quais dos seus 40 queridinhos que vai levar na mala?

Outro receio é que se tenha que abrir mão do seu sex toy favorito na alfândega, ou ter a mala extraviada ou roubada.

Por isso vamos te dar esse presente agora:

Check List para você viajar com o seu vibrador em segurança :

1 – Informe-se sobre as restrições do seu destino

Curiosidade: você sabia que é ilegal possuir mais de seis brinquedos sexuais no Texas? Além disso, alguns países podem ter restrições que os banem ou proíbem (veja aqui). Consulte os regulamentos atualizados sobre o que é legal no destino de sua escolha. Caso contrário, você corre o risco de ter seus vibradores confiscados (você pode até ser processado em alguns lugares). 

2 – Leve o menor e o mais discreto

Para que arrumar confusão mesmo antes de sair de casa? Quando fizer a mala, evite levar sex toys de aparência fálica que possam parecer “suspeitos” para a segurança do aeroporto quando sua bagagem de mão passar pelo scanner de bagagem.

Escolha também um modelo que tenha uma vibração silenciosa. Hoje em dia, existem tantos formatos diferenciados de brinquedos eróticos que é até sem edução levar uma réplica peniana na mala… Que tal o batonzinho, o patinho, ou um sugador?

Dica extra: se você acabou de comprar um brinquedo novo para a viagem, retire a embalagem para evitar a exposição gratuita. Além disso, ajuda a economizar espaço na bagagem para mais lembrancinhas!

3. Enrole o vibrador em algo macio

Se você não quer a acordar daquele soninho bom do vôo com o zumbido acidental do seu vibro ligado na mala de mão, lembre-se de guardá-lo descarregado.

Outra boa dica é guardar o seu sex toy de forma segura e confortável entre camadas macias de roupas para evitar o acionamento de qualquer botão. 

Uma medida extra de precaução? Evite guardar qualquer produto eletrônico na bagagem despachada. Durante o processo de triagem da bagagem, ela pode ser sinalizada para a segurança como algo perigoso (como uma bomba). É sério isso.

4 – Leve a quantidade certa de lubrificante

Os lubrificantes também são líquidos. Reduza a quantidade de seu lubrificante para a quantidade recomendada de líquido, ou seja, nada além de 100 ml.

5 – Se tudo der errado, cabeça erguida!

Tenha em mente que se você seguir essas dicas direitinho, chegará ao seu destino com seu vibrador como sempre sonhou e com menos chances de dar errado.

Mas mesmo que seu brinquedinho seja “exposto” de forma acidental, não há realmente nada para se envergonhar. 

Dica: você pode passar seu produto íntimo por um massageador corporal (é tecnicamente um). Você simplesmente não precisa especificar qual parte do corpo ele realmente massageia.

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

sexualidade-da-geracao-z

Decifrando a Geração Z: primeiro relatório global sobre a sexualidade dos zoomers

De acordo com a pesquisa, 59% dos membros da Geração Z desejam um relacionamento aberto ou poliamoroso, citando benefícios como "experiências de vida sexual e/ou romântica mais plenas" (65%), "mente aberta/aceitação em relação a diferentes formas de amor" (54%) e "ajudar as pessoas a se ficarem mais confortáveis em pedir o que desejam para maior satisfação" (46%). Veja mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics