Vivo reúne artes cênicas e visuais para celebrar a diversidade LGBTI+ 

No Teatro Vivo, mostra “Cartografias Visuais para uma escrita LGBTI+” destaca os trabalhos de 17 artistas ligados à causa e tem estreia simultânea ao premiado espetáculo “Tom na Fazenda”

Com a proposta de valorizar a arte, o orgulho e a diversidade em todo o seu potencial, o Teatro Vivo recebe, até dia 05 de junho, no espaço Arte Vivo, a exposição “Cartografias Visuais para uma escrita LGBTI+”.

A iniciativa reúne obras de 17 artistas ligados à causa, com a curadoria de Andrés Hernández. Gratuita e aberta ao público, das 9h às 18h, a exposição dá continuidade ao diálogo proposto pela Vivo na mostra “Telas do Orgulho”, na SP-Arte, na qual reuniu os trabalhos de cinco destes artistas.

Participam do projeto Hudinilson Jr, Kuenan Tikuna, Regina Silveira, Rochelle Costi e Avaf, Alair Gomes, André Azevedo, Antonio Pulquério, Ara Teles e Bruno Romi, Bruna Kury, Chen Ching-Yuan (Taiwan), Élcio Miazaki, Isabela Senatore, José Leonilson, Paula Garcia e Yeguas del Apocalipsis.

Simultaneamente à exposição, acontece a estreia da peça “Tom na Fazenda”, obra do autor canadense Michel Marc Bouchard, com direção de Rodrigo Portella. O espetáculo aborda como jovens aprendem a mentir antes mesmo de amar em famílias que buscam a “heteronormatividade”.

No elenco estão Armando Babaioff, Soraya Ravenle, Gustavo Rodrigues, Camila Nhary. A peça, vencedora dos prêmios da APCA, Associação de Críticos de Teatro de Quebec, Shell, Cesgranrio, APTR e Questão de Crítica, fica em cartaz no Teatro Vivo até 25 de junho, sempre às sextas e sábados, às 20h, e aos domingos, às 18h.

Palco de diferentes espetáculos que levam o público a refletir sobre temas relevantes para a sociedade, esta é a primeira vez que o Teatro Vivo reúne, ao mesmo tempo, artes cênicas e visuais, consolidando-se como um ambiente multicultural de celebração da diversidade, o espaço “Arte Vivo”.

“Esta é mais uma iniciativa da Vivo que destaca, por meio da arte e da tecnologia, questões importantes para a comunidade LGBTI+, tais como representatividade e respeito às diferenças na busca por promover uma sociedade cada vez mais inclusiva e plural” comenta a diretora de Marca e Comunicação da Vivo, Marina Daineze.

A expectativa é que o público, independentemente de orientação sexual ou identidade de gênero, se aproxime dos artistas e das obras para valorizar a comunidade LGBTI+ livre de qualquer tipo de preconceito. Em junho, a Vivo reafirma seu compromisso com o tema estando presente, pelo 2º ano consecutivo, como patrocinadora da Parada LGBTI+.

Serviço:

EXPOSIÇÃO “Cartografias Visuais para uma escrita LGBTI+”

Até 05 de junho de 2023

Entrada gratuita

Local: Espaço Arte Vivo

Teatro VIVO – Av. Chucri Zaidan, 2460 – Morumbi, São Paulo-SP

Horários: De segunda a domingo, das 9h às 21h.

ESPETÁCULO “Tom na Fazenda”

Em temporada até 25/6

Local: Teatro VIVO – Av. Chucri Zaidan, 2460 – Morumbi, São Paulo-SP

Horários: Sexta e Sábado, 20h | Domingo, 18h

Duração: 120 min

Sistema de vendas: Sympla

Clientes Vivo Valoriza tem até 50% de desconto na compra de dois ingressos

Sinopse Tom na Fazenda

A peça aborda a inabilidade do indivíduo para lidar com o preconceito, a impotência, a violência e o fracasso. Na trama, o publicitário Tom (Armando Babaioff) vai à fazenda da família para o funeral de seu companheiro. Ao chegar, descobre que a sogra (Soraya Ravenle) nunca tinha ouvido falar dele e tampouco sabia que o filho era gay. Nesse ambiente rural e austero, Tom é envolvido numa trama de mentiras criada pelo truculento irmão (Gustavo Rodrigues) do falecido, estabelecendo com aquela família relações de complicada dependência. A fazenda, aos poucos, vira cenário de um jogo perigoso, em que quanto mais os personagens se aproximam, maior a sombra de suas contradições.

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

sindrome-da-boazinha

Síndrome da Boazinha: quando a necessidade de agradar o outro se torna um problema

Você se considera boazinha demais? Está sempre em busca da aprovação do outro? Acha que as pessoas podem estar se aproveitando de você, em função do seu  jeitinho? Tem dificuldade de dizer não, mesmo que não tenha tempo ou interesse em atender determinadas solicitações? Se você respondeu sim para estas perguntas, certamente sofre com a “Síndrome da Boazinha”. Este é um padrão de comportamento compulsivo e não um transtorno psiquiátrico, como explica Filipe Colombini, psicólogo e CEO da Equipe AT.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by ExactMetrics