6 mitos e verdades sobre o prazer sexual feminino

Especialista esclarece dúvidas frequentes das mulheres

A saúde e o bem-estar da mulher estão intimamente relacionados a sua vivência sexual.

Por isso, a uroginecologista e coordenadora do programa Fellowship em Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva do Hospital Beneficência Portuguesa, Dra Débora Oriá, explica mitos e verdades sobre sexo e prazer feminino.

Existem dias específicos do mês que fica mais fácil alcançar o orgasmo

Sim, existem! O prazer sexual e a probabilidade de se atingir o orgasmo dependem diretamente da proporção de libido.

Durante os 15 primeiros dias do ciclo menstrual os níveis de testosterona no organismo da mulher ficam mais altos, o que aumenta esse desejo sexual, facilitando o orgasmo.

Ejaculação feminina não existe

Mito. Apesar de não ser tão comum, a ejaculação feminina existe sim e a mulher pode até se confundir, achando que fez xixi durante a relação sexual.

Isso acontece quando o orgasmo é muito intenso e o corpo acaba liberando uma quantidade de líquido durante a sensação.

Usar camisinha dificulta o orgasmo feminino

Mito. O que acontece é justamente ao contrário! Como a mulher demora mais do que o homem para atingir o orgasmo, a camisinha pode contribuir para retardar a ejaculação masculina e assim, permitir que a mulher tenha mais tempo para chegar ao prazer, aumentando as chances de o casal gozar junto.

Existem mulheres que só conseguem chegar ao orgasmo com estimulação do clitóris

Verdade. Isso porque o orgasmo não depende da penetração para acontecer, mas sim de estímulos de prazer suficientes para chegar ao ápice.

Então, é comum que muitas mulheres precisem de estímulos no clitóris para atingir o orgasmo.

Isso não significa nenhum tipo de distúrbio ou problema, é apenas uma particularidade.

O orgasmo alivia dores

Verdade. Quando acontece um orgasmo o corpo fica totalmente relaxado, liberando ocitocina na corrente sanguínea.

Esse hormônio, além de gerar felicidade, funciona como um analgésico natural, aliviando dores de cabeça, menstruais, reumáticas e até de artrites, melhorando o sono e reduzindo o estresse.

Um orgasmo intenso precisa de preliminares mais longas

Mito. A intensidade do orgasmo não está relacionada ao tempo de duração das preliminares, mas sim, exclusivamente, à quantidade de excitação da mulher.

Então, não existe uma regra sobre a duração das preliminares. O que a paciente precisa entender é que o prazer sexual depende de estímulos físicos e emocionais.

A grande verdade quando falamos sobre sexo e prazer feminino é que estamos tratando de saúde.

Entre alguns benefícios podemos citar a melhora da qualidade do sono, da saúde cardiovascular, do aumento da imunidade e da autoestima, entre muitos outros.

“Então, sempre recomendo as pacientes que façam sexo com responsabilidade, usando preservativos e cuidando da saúde íntima regularmente, sem deixar de perceber os estímulos que farão diferença na hora H” finaliza Dra. Débora.

Autor Julianna Santos

Relações Públicas, atuante em assessoria de imprensa e gestão de conteúdo para internet. Pós graduada em Educação Sexual pelo ISEXP – Instituto Brasileiro de Sexualidade e Medicina Psicossomática da Faculdade de Medicina do ABC, atendeu a várias empresas e profissionais do ramo erótico de 2002 até atualidade, estando inclusive a frente da sala de imprensa da Erótika Fair de 2002 a 2010. Também é certificada em Inbound Marketing pelo HubSopt Academy.

LEIA TAMBÉM

marlene-sexy-batalha-vibradores

Batalha de Vibros: Golfinho X Sugador

Aproveitando essa semana onde o clima de eleições está mais aceso, decidi fazer nessa coluna uma batalha entre os dois modelos de vibradores mais queridos do Brasil: o Vibrador Golfinho e o Sugador de Clítoris.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.